sábado, 4 de agosto de 2012

PODE OU NÃO PODE? O QUE A BIBLIA DIZ SOBRE ESSA QUESTÃO.



Texto base: "Não manuseies isto!", "Não prove aquilo!", "Não toques naquilo outro!"(Colossenses 2.21)
Caros irmãos e leitores, quando me propus a escrever sobre este tema, liberdade cristã, fiquei pensado como seria recepcionado no meio do qual eu faço parte (pentecostal e tradicional), contudo, não poderia ser covarde e me eximir de apresentar a minha visão – balizada, é claro, por uma leitura sadia da Palavra de Deus - sobre um tema tão polêmico e muitas vezes taxados de LEGALISMO ( termo que em parte eu concordo). Sabemos que Igrejas como a Assembléia de Deus, Congregação Cristã, Deus é Amor entre outras pentecostais, mantiveram e ainda matem uma postura rígida quanto a muitos costumes de seus membros. Porém, a pergunta que faço é: Tais posturas baseiam-se apenas em legalismo? Seria falta do conhecimento da Palavra de Deus? Ou seria apenas a manutenção de um costume social, que criou aspecto espiritual? São muitas indagações que poderíamos fazer, contudo, quero focar este artigo em dois extremos: De um lado aqueles que impõem dogmas tão pesado que não somos capazes de carregar. Do outro aqueles que pregam a liberdade excessiva, que permeia a libertinagem.
· “Pegando pesado”
Falamos aqui dos grupos radicais, que ainda estão muito ativos em varias denominações. Para tais pessoas a santidade será atingida pela guarda de diversos complementos para o sacrifício de Cristo. Para justificarem suas posições apresentam textos bíblicos totalmente fora de seu contexto, como por exemplo: “Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.” (Deuteronômio 22:5). Ora, para os que sustentam, por exemplo, que saia é roupa de mulher, e calça de homem, o contexto do texto refere-se a se portar, a querer ser, fazendo uso de vestimentas do sexo oposto, assim como fazem aqueles que optam pela homossexualidade e assumem a conduta do sexo oposto ao seu. O texto não trata de moda, afinal a moda é uma questão social e cultural, nada tem haver com a intenção original do texto. Vejamos estas fotos do início do século Vinte ( 1911-30), onde são apresentadas mulheres que tiveram uma comunhão com Deus, como as missionárias Sara Berg e Frida Vingren, em comparação a outra mulher que não era evangélica:



Tanto as nossas irmãs missionárias, como a distinta senhora (aparentando ser bem mais jovem que as irmãs) usavam saias, pois esse era os costumes para senhoras respeitáveis na sociedade brasileira no inicio do século XX. Em contrapartida o uso de calça, bem como terno e gravata era trajes típicos das vestimentas masculinas, ou das mulheres adeptas dos movimentos revolucionários socialistas e anarquistas, que em sua essência era contrario a qualquer postura cristã, ou qualquer uma tida como moralmente aceitável pela sociedade brasileira. Vemos também atrizes de cinema usarem calças, que a grosso modo, era comparáveis a prostitutas, veja foto:

Portanto, qualquer família “de bem”, nas décadas de 20,30 não veria com bom olhos a decisão de sua filha usar calça, muitos menos com satisfação.
Esta mentalidade enraizou-se nos Arraiais evangélicos e se perpetuaram durante muito tempo como um dogma bíblico, contudo, não passava de uma questão cultural e temporal, portanto passível de ser abolido.
Outro ponto muito abordado seria o de assistir ou não televisão, quanto a este ponto não me prolongarei, pois ficou mais que provado que o mal não está em ver TV e sim no que se vê (Mateus 6.23). Nesta mesma linha seguem a proibição de jóias, maquiagem, prática de esportes e uma infinita lista, que de forma resumida serve para “santificar” os crentes. Mas será que serve mesmo? Responderei com o apostolo Paulo ao afirmar que: “Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne.”(Colossenses 2:23). Com isto, não tiro o valor social que alguns hábitos possuem, como por exemplo, para dar identidade a um grupo, porém não há respaldo bíblico na dispensarão da Graça para "Não manuseie!", "Não prove!", "Não toque!"? (Colossenses 2:20). Estaria eu concordando com a liberdade excessiva? Vejamos, então....
· Agora é “oba, oba”!
Em oposição aos extremistas evangélicos tem a turma do “tudo me é permitido”, semelhante aos Coríntios (1corintios 6.12). Com base neste discurso, se entregam aos desejos da carne, através de uma sensualidade desenfreada, dando vazão aos frutos da carne (Gálatas 5:19). Seria uma contradição da Bíblia? Claro que não! Os bons costumes não devem ser impostos, porem eles devem brotar na vida do Cristão. Imaginem vocês, tem Igrejas batizando “irmãos” em toboágua, e o pior as irmãzinhas usando roupas extremante sensuais, CLIQUE AQUI e veja a cena patética. Outros fazem do culto uma verdadeira balada Gospel, veja reportagem da REVISTA ÉPOCA. São condutas que não condizem com o espirito que habita no Cristão.
A Palavra de Deus deve ser o padrão na vida do crente em Jesus, para isso Paulo nos aponta a solução, em uma Igreja que achava que por ser livre podia fazer tudo, vejamos o que diz: "Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada me domine.”(1 Coríntios 6.12). Com esta posição moderada Paulo dizia que nada seria proibido para um cristão que verdadeiramente nasceu de novo, porém, caberia a ele mesmo, julgar se tal atitude, se tal roupa, se determinado comportamento na Igreja deve ou não ser utilizado. Sendo que está decisão seria mediada única e exclusivamente pelo Espírito Santo de Deus, que faz morada no crente( 1 Coríntios 6:19).
· E agora o que devo fazer?
Você deve agir em conformidade com a Palavra de Deus que nos ensina que “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.”(Felipenses 4:8). Com esta afirmação entendemos que para o Cristão, não interessa o que nos dizem, mas sim o que a Palavra de Deus fala e ela não deixa espaço nem para legalismo excessivo nem para a liberdade exagerada. A moderação é o ponto chave de toda a questão, e o modelo é o Fruto do Espírito, que é: “[...] alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” ( Gálatas 5:22,23)
Em Cristo,
Jefferson Rodrigues

9 comentários:

  1. Gostei meu irmão, esse assunto é de grande importância para todos....

    ResponderExcluir
  2. Eleonilton Leonardo5 de agosto de 2012 12:14

    Ótimo texto, como é de praxe, sensato e coerente!
    Apesar de ter nascido no evangelho das Assembléias de Deus, nunca entendi essa preocupação exagerada com usos e costumes por parte de alguns...
    Outra coisa que nunca entendi é a gritaria na hora das pregações, muitas vezes a pessoa sai de casa para ouvir a palavra de Deus mas, não consegue ouvir nada, só grito e choro das pessoas que estão ao lado... nos momentos de oração, até que é aceitável, mas durante a pregação da palavra...
    Quanto a mim, que não sou pentecostal, acredito que a mensagem "pregada" fica de certa forma comprometida.

    ResponderExcluir
  3. excelente, sempre pensei isso, mas nunca tive sabe biblia pra provar.kkk. Grato pelo ensinamento que Deus continue te usando.

    ResponderExcluir
  4. Pr Jefferson, eramos de uma igreja com costumes pesados, tudo não podia, um dia(2001) DEUS falou conosco (familia de irmãos ja casados) que Ele havia de colocar um ministerio em nossas mãos, e por 7 anos aguardamos essa promessa, ate que chegou 2008 e essa promessa foi cumprida, o interessante que oramos e jejuavamos muito em montes, e constantemente DEUS falava conosco, que tinha um coisa p/ nos falar, mas que não podia, pois não estavamos preparados para ouvir, por esse 7 anos isso aconteceu , DEUS sempre falando a mesma coisa, ate que chegou o dia em que estavamos separados a 40 dias em consagração, e o predio da igreja ja pronto p/ a inauguração , DEUS se manisfestou e disse, mas não tenho mais tempo p/ esperar, hoje vou dizer mesmo que vcs não estejam preparados,e isso vai causar contenda entre vós, só vou dizer uma coisa p/ começar " EU NÃO ESTOU PREOCUPADO COM O CABELO DA MULHER", é claro que houve uma contenda entre nós , pois viemos de igrejas tradicionais, e ja faz 6 anos que estamos nessa formalidade nova, mas ainda alguns dos meus irmãos ainda estranham isso, insistimos a fazer do nosso jeito antigo o primeiro ano da igreja, o que aconteceu foi que minha empresa entrou numa divida de 1 milhão de real por não entrar no querer de DEUS, ate hoje não consegui pagar tudo isso, enfin, DEUS nos disse, para que olhassemos p/ essas igrejas tradicionais para ver como elas deixaram de crescer e outras mais severas estão se acabando. A PAZ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão rildomar explique nos melhor essa experiência com Deus,porque conforme o testemunho do irmão adão cabeludo não entrava no céu e nem irmã que tinha cortado o cabelo,minha já viu anjo de cabelos grandes então tem uma certa incoerência no testenho do irmao adão!!!

      Excluir
    2. Irmão rildomar explique nos melhor essa experiência com Deus,porque conforme o testemunho do irmão adão cabeludo não entrava no céu e nem irmã que tinha cortado o cabelo,minha já viu anjo de cabelos grandes então tem uma certa incoerência no testenho do irmao adão!!!

      Excluir

Caros irmãos fiquem a vontade para concordar, discordar, criticar e elogiar. Apenas peço que o façam com base na Palavra de Deus. Lembro a todos que os comentários que forem ofensivos serão removidos, pois nosso espaço é para reflexão e não agressão. No mais fiquem a vontade!