sexta-feira, 21 de outubro de 2016

E SE EU PECAR??


Por Jefferson Rodrigues

Texto base: “Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor [advogado] junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (I Jo 2.1, NVI)
* Nota: Este texto foi publicado neste blog originalmente em 21/07/2012, porém, nunca foi tão atual! Espero que edifique sua vida, como tem me edificado hoje, 4 anos após sua publicação inicial.
Esta semana, durante o serviço de rotina, no turno da tarde, me deparei com um caso que me fez refletir sobre até onde pode ir o sentimento de culpa em uma pessoa, em especial, em nós cristãos. O caso foi o seguinte:
Por volta das 16:00h seguiamos por uma importante avenida da zona Sul de Teresina, o trânsito muito intenso, quando ao longe minha equipe e eu contemplamos um aglomerado de pessoas, já nos questionavamos sobre o que seria, talvez um assalto, uma briga, ou o mais provável, um acidente de trânsito. Não era nada disso. Sentada no meio fio, sendo consolada por um homem com um uniforme de uma empresa, de cor azul, estava uma jovem que não tinha mais que 20 anos, branca, de cabelos negros, com o aspecto frágil, pele pálida e aparentando uma forte opressão. Aquela jovem que poderia estar vivendo o auge de sua vida, que poderia ser um exemplo de felicidade, de vigor, acabara de tentar o suicidio!
Foi uma cena chocante e ao mesmo tempo reflexiva. Sabe aquele homem que a consolava quando chegamos? Era um servo de Deus que passava pelo local e agora orava por ela, mostrava que ela tinha valor para Deus, e nada do que ela tinha feito importava mais para o Senhor, dizia que alguém a amava mais que qualquer pessoa na Terra, este alguém era Jesus. Neste momento, uma manifestação demoniaca aconteceu, a jovem começou a salivar, a se contorcer ao chão, meus companheiros de trabalho ficaram assustados – estavam acostumados com outros tipos de situações. Mesmo com esta cena posta, um pequeno círculo de oração se fez naquele lugar - já não parecia uma ocorrência policial, mas sim espiritual! Foram momentos de orações e através da misericórdia do Senhor aquela jovem retornou as suas faculdades naturais, estava liberta daquela opressão demoniaca. Algo surpreendente aconteceu, pois, sentada ali mesmo, no meio fio de uma grande avenida, aquela jovem abraçou o irmão e chorou. Diante de um grupo de curiosos confessou a Jesus como Senhor de sua vida, e já não parecia tão frágil.
Logo seu irmão chegou, alguém havia informado à seus familiares. Não me contive, queria esclarecer a dúvida que me pertubava. De início perguntei se a garota tinha crises depressivas constantes. Prontamente me veio um sim. Logo emplaquei outra pergunta, que na realidade era o que eu queria saber. Perguntei se era probelma com namorado e o jovem respondeu positivamente. Não tive dúvidas em constatar, que aquele caso tratava-se de mais um em que jovens não sabem lidar com o namoro ou com o pecado ocasionado com o namoro, quando este namoro não está na vontade do Senhor. É ai que o inimigo se aproveita da fragilidade humana e mostra que nada vale apena, e diz que o melhor seria morrer. ( I Pd 5.8)
Eu não sei o que houve com aquela garota, sei porém, que o amor do Senhor lhe foi apresentado e que a misericordia de Deus à alcançou, pois se assim não fosse, ela teria conseguido atingir seu objetivo inicial, morrer. Ficou uma indagação em meu coração: como nossos irmãos, em especial jovens, lidam coma queda ou com a possível falha na caminhada cristã? Aquela jovem talvez não conhecesse a Jesus (confesso que não sei), mas os nossos irmãos, como suportam isso sem ceder as investidas do inimigo?
Não pretendo de forma alguma apontar uma formula mágica contendo a receita exata de como lidar com esta situação. Nem quero expor aqui um debate exegético sobre o tema. Quero porém levantar este questionamento, esta possibilidade. Pois o que é posto em nossas igrejas é a infalibilidade do cristão. O viver em santidade deve ser a regra do cristão, porém como agir se houver a excessão de falhar?
Meus amados, quisera eu viver num estado pleno de santidade! Infelizmente todos os dias estamos sujeitos as tentações da carne, as investidas do inimigo de nossas almas (Jo 10.10) e podemos sim, num momento, em que estivermos desatentos, falhar. O importante, porém é saber que, ainda que não sejamos perfeitos, o Senhor nos ama e está disposto a nos perdoar. Ele mesmo nos ensinou a perdoar infinitamente (Mt 18. 21,22). No entanto, é necessário reconhecer nosso erro e mudar de atitude, buscar forças no Senhor, afinal, é Ele que nos concede o livramento (I Cor 10.13), é Ele que nos fortalece quando estamos fracos (II Cor 12.10) e é dEle que vem o nosso socorro ( Sl 121.1). A misericórdia do Senhor é tão imensa que Ele enviou um servo dEle, em meio a uma avenida, em pleno horário de trabalho, para livrar aquela garota. O Senhor tem um cuidado especial. Deus não usou aquele irmão para condenar a jovem, mas usou para levar uma mensagem de libertação para aquela pessoa que tanto precisava. Assim o Senhor faz conosco, mostra o seu infinito Amor (Jo 3.16) e nos perdoa e ainda nos garante a salvação! (Jo 8.11).
Com isso, não estamos concordando com o pecado, pois sabemos que o Senhor é Santo (I Pedro 1.16) e devemos buscar esta santidade. Mas concordamos com João ao dizer que escrevia tais coisas para que os servos do Senhor não pecassem (I Jo 2.1), porém, se por uma infelicidade, por uma falha, por uma fraqueza, eles vacilassem, não deveriam suicidarem-se, nem fisicamente, nem espiritualmente como muitos fazem abandonando de vez o convívio com o Senhor. Antes, porém, deveriam lembrar que tinham um advogado, alguém pronto a interceder por eles, era Jesus Cristo, o Justo. Lembre-se fomos comprados por um alto preço ( I Cor 7.23) e o nosso resgate foi pago com preço de sangue ( I Pd 1.18), portanto, somos especiais para Deus e a semelhança do filho pródigo (Lc 15.11) que foi beijado e abraçado pelo Pai quando retornou para casa, assim somos nós quando percebemos qual é melhor lugar para estar e este lugar sempre será na casa do Pai!

Em Cristo,
Jefferson Rodrigues


9 comentários:

  1. Eleonilton Leonardo21 de julho de 2012 11:01

    Muito bom. Esse é o seu melhor texto exposto aqui nesse blogue, na minha humilde opinião!
    Acredito que muitas vezes nesse corre-corre da vida, nos esquecemos desse versículo em 1 ep.João.Capítulo 2, versículos 1 e 2.
    Valeu, cara, que Deus continue te iluminando sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre irmão Eleonilton, que o abençoe cada dia mais! Em Cristo, Jefferson Rodrigues.

      Excluir
  2. que a graça do senhor esteja conosco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lp grato pela sua contribuição. Graça e paz da parte do nosso Deus.
      Em Cristo, Jefferson Rodrigues.

      Excluir
  3. Olá Jefferson e demais leitores,
    Essa experiência

    ResponderExcluir
  4. Olá amigo Jefferson e demais leitores,
    Essa sem dúvida é uma experiência no mínimo, marcante!
    O nosso Deus é realmente perfeito em seus cuidados e planos para com as nossas vidas. Pois mandou SEUS SERVOS no momento certo: um para que se fizesse cumprir o Livramento à jovem fragilizada e o outro para que pudesse testemunhar e nos relatar tão maravilhosa demonstração do amor de Deus e do quanto Ele é misericordioso!
    Falar "do pecado" é sem dúvida um assunto muito íntimo e delicado. Pois, nos arrependermos dos nossos pecados e confesça-los ao nosso Senhor em busca do perdão e, procurar não mais repiti-los são os ensinamentos divinos.
    Contudo, muitas vezes nos vemos cometendo os mesmos pecados. Com isso nos envergonhamos na presença do Senhor!(pois sabemos que Ele tudo sabe e tudo vê) E, buscamos nos esconder (como se possível fosse). Nos afastamos, deixamos de orar..., de nos humilhar na presença dEle...
    E, acreditamos que é justamente aí que mora o perigo!
    O Senhor nos dá o livre arbítril para seguirmos o caminho que queremos, contudo Ele nos ensina o caminho a seguir para encontrarmos a Ele e a nossa Salvação e felicidade.
    É preciso ter coragem para seguirmos em frente e conciência de nossas próprias atitudes. É preciso principalmente termos coragem de assumir nossos próprios erros e procurar uma mudança de atitude para que assim não soframos investidas do inimigo de nossas almas.
    De já agradescemos a oportunidade de compartilhar conosco tão valioso deleite espiritual. E, aproveitamos ainda para parabenizá-lo pelo texto de tão simples escrita, mas não menos rica leitura!

    Um abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samia, mais uma vez é um prazer tê-la conosco. Que o Senhor continue falando com você de forma poderosa!
      Em Cristo, Jefferson Rodrigues.

      Excluir
    2. Obrigada Jefferson, é sempre um prazer está aqui... tendo a oportunidade de compartilhar experiências e aprender cada dia mais sobre tão valiosos ensinamentos.
      Hoje, estou especialmente emocionada por perceber o cuidadoe o carinho de nosso Senhor na minha vida e de minha família! O Livro que meu filho está a lêr, no momento, tem como titulo: Obrigada querido Deus! e, depois de lêrmos um trecho que falava da fisionomia de Jesus, pudemos conversar longamente e, durante a conversa, lembrei-me de um hino que eu gostava muito de cantarolar, quando adolescente, nas minhas atividades domesticas... dizia mais ou menos assim: Não creio, não creio no Cristo vencido, cheio de amargura, semblante de dor! Eu creio no Cristo de rosto alegre, eu creio no cristo que é vencedor.(...) De olhar as gravuras e quadro pintados daquele que dizem ser o meu Senhor... meu ser não aceita o que está ma tela, é falsa a inspiração do pintor!...(vc conhece?)
      Sabe, vc não imagina a emoção que sentí de poder cantar esse hino a meu filho! Sei que Senhor estava aqui naquele momento, pude sentir a presença Dele!
      E é por isso que estou mais uma vez aqui, para agradescer o espaço de poder externar a felicidade de ter o Senhor em minha vida!

      Um forte abraço,

      Excluir
  5. Fiquei feliz...com o final da história.Deus pode tudo fazer...

    ResponderExcluir

Caros irmãos fiquem a vontade para concordar, discordar, criticar e elogiar. Apenas peço que o façam com base na Palavra de Deus. Lembro a todos que os comentários que forem ofensivos serão removidos, pois nosso espaço é para reflexão e não agressão. No mais fiquem a vontade!